Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

domingo, 15 de abril de 2012

César Oliveira & Rogério Melo 15/04/12

César Oliveira & Rogério Melo

     Amigos de muitos anos, criados juntos na cidade de São Gabriel, César Oliveira e Rogério Melo dividem o mesmo apreço pela arte e pelo folclore da pampa gaúcha. Honrar, valorizar e celebrar a força desta cultura é o objetivo de ambos.
Atuando como dueto desde 2001, hoje César Oliveira & Rogério Melo são uns dos artistas mais reconhecidos no cenário cultural do sul do país. Extremamente vinculados à música terrinha têm um público cativo e crescente, o que coloca seus discos entre os mais vendidos do estado.
Juntos, gravaram oito CDs e dois DVDs.
A cada trabalho, o dueto consolida seu prestígio perante a crítica   o mercado e seus admiradores e deixa uma marca indelével na história da música gaúcha. Em 2008, o Brasil também reconheceu ao talento de César Oliveira & Rogério Melo agraciando-os com o Prêmio TIM de Música de melhor dupla regional do país.


Em 2009 lançaram seu mais novo trabalho, o CD Procedência, composto por dois discos: “Apegos e Anseios do meu Canto”, no qual César Oliveira interpreta canções de Rogério Villagran, e “Regional”, onde as composições de Anomar Danúbio Vieira recebem a interpretação de Rogério Melo. Como não poderia deixar de ser, César e Rogério cantam juntos em cinco faixas de cada um dos discos. “Apegos e Anseios do meu Canto” tem produção musical de Marcello Caminha e “Regional” de Luciano Maia.
O dueto sobe ao palco acompanhado de músicos com valorosa expressãoe reconhecimento no Rio Grande do Sul e fora dele. Nos violões, Marcello Caminha e André Teixeira; na gaita botoneira, Edilberto Bérgamo; e no baixo, Gilnei Oliveira.

Paulo & Dênio
Paulo & Dênio vem se destacando no cenário da musica sertaneja raiz , Dênio com seu dom que Deus lhe deu de tocar viola arrepia a todos que curte esse estilo . Paulo com sua primeira voz marcante  também emociona a platéia.
Paulo nasceu na cidade de guimarânia MG ,e Dênio na cidade de coromandel MG, se conheceram em uma roda de viola entre amigos e hoje traz um trabalho serio e profissional aos amantes da musica raiz.
Estão em estúdio gravando seu segundo CD, mas de brinde voce pode baixar musicas do primeiro CD. Você pode conferir alguns vídeos de Paulo & Dênio no you tube e ver e fazer parte da amizade deles no orkut e twitter (@pauloedenio)
 Um forte abraço da dupla; Paulo & Dênio.

Flauzino e Florêncio

Em 1939, lançaram pela Columbia as modas de viola "Futibor no arraiá", de autoria da dupla e "Ritinha", da dupla em parceria com o Capitão Barduíno, a valsa "Saudades de Rio Preto", da dupla, e a canção toada "Coqueiro veio" também de autoria da dupla. Em 1940, gravou de autoria da dupla a mazurca "Minha história". No mesmo ano, gravou de Ari Machado, a moda de viola "Moda do Estádio Pacaembu", alusivo ao estádio de futebol do Pacaembu em São Paulo, inaugurado naquele ano.

 Em 1942, gravou de José Marcílio e Ari Machado, a valsa "Marília", e de Ari Machado, a toada "Boiadeiro". A dupla provavelmente dissolveu-se nesse mesmo ano. Em 1943, Florêncio formou dupla com Raul Torres e Flausino formou nova dupla, com Hortênsio, com quem gravou no mesmo ano a mazurca "Noites de São João" e a valsa "Saudades de Igaratá", as duas de Petronila Souza, a moda de viola "Sertanejo patriota", de autoria da dupla e Petronila Souza, e a canção "Lua", de Domício Francisco da Silva, e ao que parece, encerrou suas atividades logo em seguida.

Florêncio, sendo violeiro, cantador e compositor, nasceu numa família de músicos e cantadores. Iniciou como calouro na Rádio Record, onde interpretou "Casinha Pequenina", tendo sido aprovado. Suas apresentações ficaram marcadas pela utilização de uma viola vermelha. Começou a estudar para ser farmacêutico, mas acabou desistindo e seguiu a carreira artística.

João Batista Pinto, o Florêncio, nasceu em Barretos em 1910 e morreu na mesma cidade em 1970. Antes de morrer, deu sua famosa Viola Vermelha de presente ao Tião Carreiro que, em sua homenagem, gravou em 1984 com o Pardinho a moda de viola “Viola Vermelha”, de Tião Carreiro e Jesus Belmiro.

Do Flauzino, infelizmente, não temos nenhum dado.

Fonte http://saudadesertaneja.blogspot.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário