Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Nilo e Nelson 20/04/12

Nilo e Nelson
            Carlos Pedroso Krette (Nilo), natural de São Paulo - SP
Aparecido Lopes de Almeida (Nelson), natural de Clementina - SP
            Certamente suas histórias têm muito em comum com a trajetória e a vivência dos artistas que atuam na música sertaneja. Nilo primeira voz da dupla, ganhou seu primeiro violão na adolescência e de lá para cá se envolveu com a música, incentivado por familiares e amigos, estes responsáveis por apresentar a autêntica música sertaneja como a catira, guarania, bolero, pagode, rasqueado e outros estilos. Atuou com outros parceiros tocando na noite e participando de festivais; e como o rio busca o mar, apresentamos a mais harmoniosa parceria que ambos buscaram até então, acreditamos, que o melhor desse aprendizado da escola do tempo, se mostra agora, ao encontrar em Nelson a segunda voz compatível e com uma experiência semelhante a sua. Nelson que ainda menino iniciou seu trabalho na vida do campo e este convívio com as coisas da roça influenciou sua personalidade musical.


Assim como Nilo, participou de outras formações e o mais importante é que o tempo serviu para aprimorar seus sonhos.
            Finalmente chegamos ao nosso primeiro trabalho por uma gravadora e o primeiro pela Arte Brasil Produções, neste disco Nilo e Nelson intitulada Voa Coração assumimos em nossa primeira música de trabalho a missão de interpretar uma dupla de compositores consagrados? Paulo Debétio e Paulinho Rezende, criadores de grandes sucessos como: Nuvem de lágrimas (Fafá de Belém), Idas e voltas (Mato Grosso e Mathias \ Leonardo) Um, dois, três (Gian e Giovani), Capim mexeu pau na preá (Adalberto e Adriano), eis aqui ainda SOUVENIR ? Paulo Debétio e Paulino Rezende. No disco cheio outras músicas inéditas de autores como o também consagrado Muniz Teixeira, Giso Mendes, Joãozinho e outros.
            E como o tempo nos dá a oportunidade de aprimorar a nossa experiência, confessamos que estamos felizes por conduzir nossa história com uma responsabilidade deste tamanho.
Cientes da indispensável força deste veículo de comunicação e deste profissional contam com seu apoio para que essa música possa se transformar num verdadeiro SOUVENIR.
Zé do Cedro e João do Pinho
            José Aparecido Fernandes, o Zé do Cedro, nasceu em Barra Dourado-SP no dia 14 de agosto de 1941; João dos Santos Fernandes, o João do Pinho, nasceu em Mendes Paulista-SP no dia 10 de outubro de 1945.
Apesar da pouca duração, formaram uma excelente dupla que faz parte da história da música caipira raiz e não pode jamais deixar de ser mencionada.
Filhos dos lavradores Joaquim Baldoíno Fernandes e Eteovira Maria de Jesus, José e João, junto com mais 11 irmãos, desde criança já demonstravam interesse pela música e seus pais também foram cantadores de viola na década de 1920.
Os diversos irmãos se revezavam formando algumas duplas de pouca duração, visto que não podiam deixar de lado o trabalho agrícola, no plantio do café.
José Aparecido, o Zezinho, era quem mais alimentava o sonho de formar uma dupla caipira. João dos Santos, o Joãozinho, com apenas 6 anos de idade, já demonstrava habilidade no toque da viola caipira.
De início, José Aparecido formou uma dupla com seu irmão mais velho, Orlando. Porém devido aos apertos financeiros do pai, tiveram que encerrar as cantorias para pegarem na enxada, no trabalho com 12.000 pés de café na Fazenda Peroba, sob a responsabilidade da família Fernandes. Mas José Aparecido não tirava da cabeça a idéia de cantar em dupla. E seu irmão mais novo, o Joãozinho, às escondidas de todos e, com apenas 6 anos de idade, aproveitava-se dos descuidos de todos "fuçava" a viola "Bernardino" do seu pai Joaquim Baldoíno, num interesse pouco comum pelo tradicional instrumento musical.
Tendo se mudado para Tanabi - SP, a família Fernandes lutava por dias melhores. Foi aí que a dupla juntou-se novamente e se apresentou na emissora de rádio local com o nome de "Landinho e Zezinho"; a dupla, no entanto, novamente se desfez e José Aparecido conheceu um cantor de excelente "primeira-voz" em Poloni - SP, tendo formado com ele a dupla "Santão e Zé da Serra", que obteve bastante destaque na região de São José do Rio Preto-SP. A dupla, porém, novamente foi de pouca duração.
Enquanto isso, Joãozinho, conhecido pelos amigos como "João Capim-Gordura", se destacava tocando violão em serestas na cidade de Monte Aprazível-SP.
Foi nessa época que finalmente José e João formaram a renomada dupla com o nome de "Zé do Cedro e João do Pinho", numa excelente combinação de vozes e instrumentação que se aproximou da perfeição.
Em 1979, Zé do Cedro trabalhava numa marcenaria enquanto que João do Pinho era zelador em um clube e, nos finais de semana, cantavam em rodas de violeiros. Foi nesse ano, no dia 9 de Julho, que a excelente dupla foi vencedora do Festival Arizona de Violeiros, em Barretos-SP, festival esse que contou com a participação de 350 duplas do Estado de São Paulo. Com essa vitória, a dupla gravou o primeiro LP ("A Dupla da Madeira") pela Chantecler, no ano seguinte, 1980. Também pela mesma gravadora, eles participaram em 2 faixas do LP "Festival Arizona", além de uma faixa que também gravaram no LP "Na Boca do Forno".
O segundo LP de Zé do Cedro e João do Pinho foi lançado no início dos anos 80 pela Tocantins, com destaque para "Jacutinga" (Valito e Zé do Cedro), que foi a música de maior sucesso da dupla, que gravou ainda mais dois LP's na mesma gravadora: "Oferta Para Santos Reis" e "Tanakara": destaque para "Amor Precipitado" (Nhô Chico e Taviano), "Fiel Caminhoneiro" (Geraldinho - João Roberto) (a música cujo trecho o Apreciador ouve ao acessar essa página), "Beijo de Judas" (José Fortuna - Paraíso) e a bem humorada faixa-título "Tanakara" (Joaquim Moreira e Dirceu Silveira).
Seguiu-se então um período de 10 anos sem gravar e Zé do Cedro e João do Pinho retornaram às gravações no ano de 1995, gravando pela Midi Records em São José do Rio Preto-SP o LP "Voltando às Raízes".
E, em 1996, Zé do Cedro e João do Pinho lançaram seu primeiro CD: "Sertão Querido" pela gravadora RFARAH, também em São José do Rio Preto-SP.
E, no ano de 1998, foi diagnosticado um tumor no cérebro de João do Pinho, que chegou a ser operado em São José do Rio Preto-SP. Querendo evitar que a dupla encerrasse as atividades em definitivo, o próprio João do Pinho convidou um jovem fã (que há mais de um ano viajava com a dupla, acompanhando-a em algumas apresentações) para que os auxiliasse nos shows até a sua total recuperação, que infelizmente não aconteceu... João do Pinho veio a falecer no dia 10 de outubro de 1999.
Esse fã, Aníbal Eugênio Vercesi Filho, o João Pinheiro, que substituiu o João do Pinho na dupla com Zé do Cedro, tinha iniciado sua carreira artística acompanhando as Irmãs Galvão, a quem João Pinheiro chama carinhosamente de "madrinhas". Natural de Campinas-SP, João Pinheiro havia se mudado para Uberlândia-MG em 1990, onde se formou em Veterinária pela Universidade Federal de Minas Gerais. Em 1996 seguiu para Belo Horizonte - MG, onde ingressou no Mestrado em Zootecnia também pela UFMG.
Com coragem e superação, Zé do Cedro e João Pinheiro continuaram a carreira artística, não esquecendo de homenagear o irmão João do Pinho, desaparecido tão prematuramente.
A nova Dupla, no entanto, só durou até meados de 2003, quando cada um dos integrantes resolveu seguir diferentes caminhos.
Na residência de Zalo, em Mogi - Mirim - SP, João Pinheiro havia conhecido em 1998 o Luiz Fernando Sousa (nascido em Alfenas - MG, Cirurgião Dentista em Salto - SP), que teve o primeiro contato com a viola caipira aos 17 anos, quando formou com seu conterrâneo Pedrão a dupla "Pedrão e Zé Campina".
Separada a dupla com Zé do Cedro, Zalo incentivou a formação da dupla, Luiz Fernando e João Pinheiro que acabou de lançar o primeiro CD, com repertório de autoria de excelentes compositores do quilate de Zé Matão, José Caetano Erba, Goiá e Luiz Faria, além de composições próprias.
Enquanto isso, Zé do Cedro formou nova dupla com Tião do Pinho e lançaram o CD independente "Sereia do Araguaia". Nesse trabalho, "Zé do Cedro e Tião do Pinho" contam também com obras de renomados compositores tais como Tião do Carro, Valdemar Reis, Sulino, José Caetano Erba e Zé Mulato, além do próprio Tião do Pinho que assina a composição de algumas faixas.
Antônio Francisco da Silva, o Tião do Pinho, nasceu em Monte Aprazível-SP no dia 04 de setembro de 1946.
Tião já conhecia o Zé do Cedro, de quem foi grande amigo desde a infância e, de fã da dupla "Zé do Cedro e João do Pinho", passou a ser integrante da dupla "Zé do Cedro e Tião do Pinho", que lançou em 2009.
O segundo CD intitulado "Pedaço da Minha Terra", com belíssimas composições de Nilson Nunes de Freitas, Valdemar Reis, Jorge Moret de Oliveira, Moacyr dos Santos, Paraíso, Ademar Braga, Benedito Miguel Tonoli, Joaquim Moreira da Silva e Edevaldo Fernando Rodrigues Mendes, apenas para citar alguns.
(17) 3238-4776   
Texto: Sandra Cristina Peripato

Nenhum comentário:

Postar um comentário