Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Vindos de Flórida Paulista 06/06/12

Beto e Marcio
            Vindos de Flórida Paulista, região oeste do Estado de São Paulo, Beto (27) e Márcio (29) despontam como uma das mais promissoras duplas sertanejas da atualidade.
Juntos há 12 anos, Beto e Marcio mudaram-se para São Paulo (capital) no ano de 2.000 conquistando espaço nas principais casas noturnas da capital paulista como Villa Country, Rancho do Serjão, Estância Alto da Serra e Jockey Club de São Paulo, onde ainda se apresentam com freqüência, acompanhados de sua banda formada por profissionais de alto padrão musical.
Com apresentação de um show bem elaborado e com repertório de muito bom gosto, despontam no cenário musical brasileiro para mostrar todo o talento que trazem de berço, somado ao aprendizado na principal universidade musical do mundo, formada pelos bares da vida...
            O repertório do CD, gravado ao vivo em São Paulo / SP, apresenta composições de consagrados autores da música sertaneja, como César Augusto e Bozzo Barretti “Foi Você Quem Me Perdeu”, Rick “Amor de Violeiro”, Xororó “Ciumento Demais”, Antonio Luiz e Cecílio “É Roça”, Marcelo Melo “Marcou Demais” entre outros, além de composições próprias como as músicas “Olhe Em Meus Olhos” de Beto e Edson Ávila e "Simplesmente Amor" de Beto.
A música que desponta como um dos “hits” de 2009 “TA NA CARA QUE EU TE AMO” de autoria de Marcos Lima (músico integrante da banda de Rick & Renner), já está entre as "mais pedidas" nas rádios de norte a sul do Brasil e, de modo crescente, vai conquistando o 1° lugar em cidades de pequeno, médio e grande porte.


Assim, apresentam-se ao Brasil Beto e Marcio, cantores, compositores, instrumentistas e pessoas que colocam o sentimento de amor sempre à frente de suas interpretações e na vida pessoal, pois, segundo eles, nas adversidades da vida, o coração sempre foi quem decidiu !
Biografia enviada por Juliana_Flor

Guaíra e Guaíba

Os irmãos João e Antonio Paparotti, nascidos em Santa Bárbara D'Oeste e criados em Americana, cantam juntos desde criança e profissionalmente a partir de 1980.

Participaram de festivais por várias cidades e estados. São os maiores ganhadores de festivais em Americana.
Apresentaram-se em diversos eventos, inclusive nos teatros municipais de Americana, Piracicaba, Santa Bárbara D’Oeste, Capivari entre outros. Fizeram shows em cidades de diversos estados. Em dezembro de 2007 estiveram no Rio Grande do Sul onde se apresentaram em Campo Bom, Novo Hamburgo, Gramado, Sapiranga e Taquara. Também já estiveram em Santa Catarina, Paraná e Minas Gerais.
Participaram de programas na TV Cultura (Viola Minha Viola), Bandeirantes, Record e na Globo (Caminhos da Roça) dia 26/04/2008.
A dupla adota estilo “Sertanejo Raiz” no qual a viola caipira se sobressai cantando e tocando as belezas do sertão e de nosso interior.
O atual trabalho da dupla, o CD: “Brasil de Ponta a Ponta” lançado em novembro de 2007 tem sido muito executado em várias rádios AM e FM de São Paulo, Minas, Paraná e outros estados. As músicas “Como é Bom Recordar”, “O Poeta e a Viola”, “O Menino e o Copo d'água” e “Brasil de Ponta a Ponta” são as mais executadas no momento.
João Mulato
Wilson Leôncio de Melo, João Mulato!
Na Linha Sertaneja de Música-Raiz, existe um estilo que é o mais difícil de cantar, a Moda de Viola.
            Primeiro, porque as vozes têm que ter aquele sabor especial.
            Segundo, porque à Moda de Viola não tem ritmo, mas tem uma dinâmica em que é preciso ter o tempo certo na intuição dos compassos.
            Terceiro, porque toda letra das Modas de Viola têm que contar uma estória e convencer (...) Quem compra disco de Moda de Viola é o público sertanejo fiel, intelectuais, universitários e por aí afora. A harmonia é feita somente com a Viola, dispensando o Violão e, nas entradas, no meio das estrofes e final das frases, rola o recortado da Viola (...) João Mulato é quem mais se aproxima do estilão de Tião Carreiro, tanto na voz como no ponteio da Viola (...) Aproveito agora para apresentar a vocês dois dos mais autênticos cantadores de Moda de Viola: João Mulato e Douradinho. Ouçam este CD e sintam o prazer de ser Brasileiro com “S.”
(Comentário de Téo Azevedo no encarte do excelente CD "João Mulato e Douradinho - Modas de Viola Clássicas" lançado pela gravadora Pequizeiro).
            O nome dessa Dupla permanece há mais de duas décadas "na Estrada", escrevendo a história da Música Caipira Raiz, não negando a boa influência recebida de muitas boas duplas do "estilão", estilo esse que João Mulato vem mantendo apesar das diversas trocas de parceiro as quais foram necessárias, por motivos diversos. Também é notável que diversos diferentes parceiros mantivessem o nome "Douradinho", com excessão apenas do Pardinho, que já possuía esse nome artístico quando cantava em dupla com o Criador e Rei do Pagode Tião Carreiro.
            Nascido em Passos-MG, João Mulato mudou-se ainda criança, juntamente com a família, para a cidade de Araçatuba-SP, por sinal, a mesma cidade onde também foi criado o também mineiro Tião Carreiro. Algum tempo depois, João Mulato trocou Araçatuba-SP pela Capital Paulista.
Foi na Paulicéia Desvairada que João Mulato conheceu o jovem violeiro Bambico, e com ele formou a primeira dupla que recebeu o nome "João Mulato e Douradinho".
            Inesquecível violeiro, no entanto, quase nada se falou nem tão pouco se escreveu sobre Domingos Miguel dos Santos, o Bambico, nascido em Umuarama-PR. Segundo Pedro Lemos Barbosa, o Pinho, criador e diretor da Revista Viola Caipira, “... se Tião Carreiro é considerado o 'Pelé da Viola', Bambico foi sem dúvida o 'Garrincha dos Violeiros', tendo sido um verdadeiro artista nas artimanhas dos Ponteios". Esse jovem Violeiro foi de fundamental importância na criação do ritmo do Pagode de Viola.
            Além da dupla com João Mulato, Bambico também foi um grande amigo de Tião do Carro, além de ter também tocado a Viola Caipira em gravações de discos de Jacó e Jacozinho e Tião Carreiro, para quem também criou diversas introduções aos seus característicos Pagodes. Seu principal trabalho foi portanto como Músico de Estúdio, com seus arranjos a acompanhamentos que deram um marcante brilho sonoro a tais gravações.
            Bambico também formou dupla com Bambuê e, em "carreira-solo", gravou em 1982 o LP "Brincando com a Viola" na Chantecler (hoje Warner Music) (capa do disco à direita). Faleceu, no entanto, alguns meses depois, com apenas 38 anos de idade, de acordo com informações de seu amigo Tião do Carro. E, na foto abaixo, Bambico e Bambuê:
            Com Bambico, João Mulato gravou 2 LP's: "Saudade de um Amor Passado" e "Meu Reino Encantado", esse segundo disco contendo a célebre faixa-título composta por Valdemar Reis e Vicente P. Machado. Esperamos que esses Lps que são verdadeiros tesouros, não demorem a serem remasterizados e lançados em CD!
            Com o falecimento repentino do Bambico, João Mulato formou dupla com outro companheiro, ou melhor, com diversos outros companheiros, conforme já foi dito, tendo gravado mais 6 LP's, mantendo o nome da dupla "João Mulato e Douradinho". Como o Apreciador pode observar, foram diferentes companheiros de dupla que tiveram o nome de Douradinho, nas diversas fotos apresentadas nessa página.
            Na década de 1980, Tião Carreiro, já bastante doente, convidou João Mulato para fazer shows, juntamente com o Pardinho.
A dupla acabou se oficializando como "João Mulato e Pardinho" em 1990, pois o Pardinho, vendo que o Tião Carreiro não tinha mais condições para gravar e viajar convidou João Mulato para formar a nova dupla a qual gravou 4 Lps, de 1990 a 1997, ano no qual o Pardinho resolveu parar de cantar, a pedido de sua família.
            Com o término da carreira artística do Pardinho, João Mulato voltou a formar a(s) dupla(s) intitulada(s) "João Mulato e Douradinho", tendo gravado o disco "Ao Mestre Com Carinho" ("para nossa felicidade", lançado também em CD - foto da capa à direita), que homenageia Tião Carreiro.
Destaque para "Cadeira Vazia" (João Mulato - Chicão Pereira), e diversas regravações de célebres interpretações do Criador e Rei do Pagode, tais como "O Pulo do Gato" (Lourival dos Santos - Tião Carreiro), "Amargurado" (Dino Franco - Tião Carreiro), "Preto Velho" (Jesus Belmiro - Tião Carreiro - Lourival dos Santos), "Teu Nome Tem Sete Letras" (Zé Carreiro - José Fortuna) e "Encanto da Natureza" (Luiz de Castro - Tião Carreiro). João Mulato e Douradinho, por sinal, vêm sendo considerados como sendo dos maiores representantes do autêntico estilo de Tião Carreiro e Pardinhos.
João Mulato também chegou a cantar em dupla com Paraíso, o que podemos constatar na interpretação de "Vida de Peão" (Téo Azevedo - Paraíso) no CD "Téo Azevedo - Brasil com S" lançado pela gravadora Kuarup. Clique na capa do CD à direita e adquira esse e outros excelentes produtos diretamente do site da Kuarup Discos.
Quero destacar também o CD "Fera Ferida" lançado em 2004 pela Atração Fonográfica, e que é um dos mais recentes trabalhos da dupla. Destaque para "Só Por Deus" (João Mulato - Vanice Carvalho), "Eu Quero Ela" (João Mulato - Roserli Barbosa) (que menciona inclusive o uso da Internet!), "Vivendo no Sertão" (João Mulato - João Miranda), "Paulista de Fibra" (João Mulato - Toninho Bauru), "Prás Bandas de Aquidauana" (João Mulato - Toninho Fernandes) (a música cujo trecho o Apreciador ouve ao acessar essa página) e "Viola Dourada" (Martins Neto - João Mulato), além da faixa-título "Fera Ferida" (João Mulato).
Conforme já foi mencionado, o grande "mistério" na dupla "João Mulato e Douradinho" é a quantidade de companheiros com os quais João Mulato já fez dupla, e que adotaram esse nome. Ao que consta, foram mais de 8 músicos diferentes que cantaram juntamente com João Mulato, nos diversos Lps e CDs gravados e, com exceção do saudoso Bambico, quase nada se conhece sobre a "identidade" dos diferentes "Douradinhos"! Por outro lado, embora não conste escrito em nenhuma biografia pesquisada, podemos observar nas duas fotos abaixo que o Douradinho (na foto à esquerda) é o mesmo Zé Goiano, da excelente dupla Eli Silva e Zé Goiano.
Mas, apesar de tantos diferentes Douradinhos, "João Mulato e Douradinho" é uma dupla de fundamental importância na preservação da Memória Musical da genuína Música Caipira Raiz! A dupla continua "na estrada" em diversas apresentações, aparecendo inclusive com freqüência no excelente programa Viola Minha Viola que vai ao ar nas manhãs de Domingo e nas noites de Sábado na TV Cultura de São Paulo-SP, apresentado pela "Madrinha" Inezita Barroso.
            SUCESSOS
Vou aonde tem Amor
Escola do Mundo
Não deixo a viola cair
            João Mulato está cantando atualmente com João Carvalho, outro grande expoente do nosso meio artístico. O CD “Não deixo a viola cair” está pronto e eles estão divulgando-o por este mundão de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário